O Dinheiro na primeira fase da vida... Reforçando o "DNA da poupança"!

October 15, 2017

Qual é o melhor caminho para a criança e o adolescente criarem uma boa relação com o dinheiro?

O Exemplo

A primeira fase da vida é aquela em que estabelecemos alguns laços fundamentais, que nos acompanharão muitas vezes para sempre. No que diz respeito ao dinheiro, somos dependentes de alguém que tomará decisões financeiras por nós.

 

A relação das pessoas com o consumo pela compra e, consequentemente com o dinheiro, inicia desde a primeira infância, mesmo não sendo a criança, a responsável pela compra de alguma coisa que ela irá (ou não) consumir. Mas sim, pelo consumo que está sendo feito em nome dessa criança.

 

Portanto, é a relação com o dinheiro e com o consumo, vivida pelos responsáveis por essa criança, e que são os verdadeiros agentes da compra,  que se tornará o espelho e a primeira referência entre comprar ou não e, entre consumir ou não.

Os Valores Culturais

Dizer sim ou não? Depende! O consumo é movido pela satisfação de uma necessidade. E, como sabemos, as necessidades são culturais. Há que se entender que valores estão sendo passados para as crianças e, quais motivos movem seus desejos e necessidades.

 

O Caminho

Qual é o melhor caminho? Imagino que ninguém saiba realmente qual é a melhor direção, pois pessoas são e pensam diferente. Almejam situações e bens e serviços também diferentes. Não há uma "receita de bolo" para isso. Mas há uma luz que não está apenas no fim do túnel.

 

O Planejamento

Sabemos que consumir menos do que se ganha, gera uma sobra (que os economistas chamam de excedente) e, essa sobra pode ser utilizada com inteligência, pois pode trazer benefícios que virão mais adiante, como uma viagem dos sonhos, a possibilidade de uma melhor formação de estudos para essas crianças que estão no início de suas vidas, compra de um imóvel que poderá representar maior conforto e segurança, ou ainda, planejar uma vida com maior tranquilidade financeira... Há tantas possibilidades. Mas o que vale dizer é: O planejamento ajuda.

 

O Valor do Trabalho

É importante criar uma relação entre o valor do trabalho e o ganho do dinheiro. Isso poderá fazer a criança valorizar o que está consumindo, por entender que é preciso se esforçar para alcançar seus objetivos.

 

O Valor do Tempo

Ensinar o valor da espera para que os sonhos se concretizem, para que também os próprios sonhos se valorizem ao invés de se banalizarem. Crianças que aprendem a dominar a ansiedade, poderão se tornar adultos menos ansiosos, o que lhes trará uma vantagem comportamental, principalmente para as tomadas de decisões.

 

Apenas não se pode esquecer, que o tempo é relativo conforme a idade. A espera deve ser motivadora e não um desestímulo aos sonhos. Um ano para uma criança de 5 anos, representa 20% de tudo que ela já viveu até então.

 

Uma Possível Solução - Quem deve tomar as decisões?

E quem deve planejar? Apenas os pais? Penso que não!

Em minha concepção, vejo que um planejamento que envolverá esforços e recompensas, deverá ser criado com todos os envolvidos no projeto, respeitando suas idades e compreensão, pois assim, todos terão uma motivação fundamental, pela qual se mobilizarão.

Espero que vocês tenham se sentido inspirados a tomar medidas que melhorem seu futuro imediato e de médio e longo prazos.

 

Nosso próximo post será sobre: A Juventude e o Dinheiro. Hora de aprender a lidar com dinheiro.

 

Espero por você!

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Você sabia que a sua saúde financeira pode impactar sua saúde física?

July 16, 2018

1/4
Please reload

Posts Recentes